quarta-feira, 6 de novembro de 2013

MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO




Eu procuro escolher as motos para meu acervo pessoal com muito cuidado. Prefiro pagar um pouco mais caro, prefiro ter paciência de procurar até encontrar por uma moto muito bem conservada e original, do que comprar uma carcaça e mandar pra restauração, ou comprar uma moto baleada, mal cuidada, com muitas peças do mercado paralelo e tentar colocá-la em ordem, das motos restauradas por amadores então eu simplesmente fujo. Entendo que, não apenas acaba saindo mais barato a primeira opção, mas principalmente, uma restauração nunca será igual ao original de fábrica, sempre fica algum detalhe, alguma imperfeição.

Mas ai é gosto pessoal, e o importante é a curtição pelas antigas, seja lá como for. Tem colecionador que curte justamente a restauração, a garimpagem das peças, eu já prefiro mantê-las e usá-las. Apesar disso, atenção: Existem excelentes restauradores por aí capazes de atingir um nível de perfeição, capaz de deixar na dúvida (se original ou restaurada) o mais cuidadoso avaliador.

Mas o que me moveu a escrever este tópico foi o fato que ha alguns meses eu estava pesquisando a compra de uma nova-velha motocicleta e o vendedor falou muito bem da moto, mostrou fotos muito bonitas e num determinado momento me explicou que havia pintado o tanque, para-lamas, laterais e etc, pois segundo ele "pintura nenhuma aguenta 30 anos"...  bem, eu não comprei a moto, por não se enquadrar no que procuro, mas esse mito precisa ser derrubado:  A pintura pode sim durar, em perfeito estado, com muito brilho, por 30, 40, 50 anos, até mais, assim como os cromados e outros detalhes. Basta saber conserva-la.

Mais uma vez, vamos lembrar a premissa básica deste blog: não tenho a pretensão de transforma-lo em um tratado sobre motos antigas, apenas uma sala de estar. Este artigo em especial, diz respeito aos cuidados que eu tomo com minhas motocicletas, muita gente as elogia pelo estado de conservação e pergunta se eu as trato "no iogurte". Não, iogurte não, mas tomo muitos cuidados e alguns detalhes os quais listo abaixo, por favor, não entendam isso como regras rígidas de manutenção, existem outras boas práticas que não foram listadas aqui e existem colecionadores e motociclistas que cuidam de suas motocicletas de outra maneira, com outros cuidados (outra marca de iogurte ?!) e obtém excelentes resultados!

Quais os segredos ?

Primeiríssimo de tudo, temos que fugir do sol. 
Costumo brincar dizendo que minhas motos saem de casa apenas pra voltinhas no final de semana quando está sol, mas dependendo do índice de raios ultra violeta daquele dia! Se estiverem altos não saio!  - é brincadeira, claro! Eu saio sim,  mas a brincadeira tem um fundo de verdade: Os raios UV destroem a pintura, os cromados, os plásticos, as borrachas, pneus, capa de banco, fundos do painel, acrílicos - tudo que encontrar pela frente! A brincadeira fica por conta do fato do motociclista poder e dever sair com sua moto em qualquer dia que lhe der na cabeça, o que não deve é estacionar a moto ao sol, dia após dia, e lá deixar por horas a fio. Moto que fica ao sol envelhece bem mais rápido que as demais (curioso, parece que ouvi essa história num consultório de um dermatologista! - seria ele um motociclista?).




Outra dica importante é proteger a pintura e as partes plasticas e de borrachas com frequência, outra vez, não há necessidade de exagero, basta:

- manter a moto limpa (barro, sujeira acumulada vira um foco de umidade, que traz ferrugem com o tempo);

- manter a moto seca (depois de lavar, ande com a moto, faça com que a moto esquente por completo, eliminando eventuais pontos de umidade);

- proibido o uso de desengraxantes fortes, "solupan", "limpa-baú" e outros produtos do gênero (praticamente dispensa comentários);

- encerar as partes pintadas - cera comum mesmo, "de carnauba" ou qualquer uma de boa qualidade que o motociclista quiser usar, não precisa gastar fortunas comprando ceras importadas especiais, basta encerar, a cera protege a pintura;

- proteger as partes de plastico e borracha - silicone ou algum produto que o contenha vai dar conta do recado, sem exagero, apenas uma fina camada e depois um pano seco pra remover todo o excesso (manter excesso acaba atraindo poeira, poeira atrai umidade e ai começa a complicar novamente),sem falar que a aparência "brilhante" do silicone não condiz com a condição original que o motociclista/colecionador quer manter em sua moto;



- gosto do cãozinho, gosto da moto! Mas cada qual em seu lugar, não se guarda moto no canil, e nem cachorro frequenta garagem. Urina no aro da roda da moto é ferrugem na certa! E adeus cromado original... Sem falar que aro enferrujado, estraga a câmara de ar: furos a vista! (E tem ainda os cães que gostam de comer para-lamas, setas, protetores de corrente e outros aperitivos, digamos assim, raros...).







Agora que cuidamos da pintura e do visual da moto, vamos falar em como evitar visitas a oficina e ter prazer com ela a cada passeio, um dos lances mais legais de se possuir uma ou algumas motos antigas é poder chegar na garagem a qualquer momento, escolher a moto, dar a partida e sair para um passeio. Para ter-se esse prazer ímpar, recomendo:

- considere que andar com a sua moto a mantem viva, deixa-la guardada, parada, empoeirada no canto de uma garagem não é conserva-la! Portanto, no minimo a cada 15 - 20 dias, procure rodar com ela, fazer o óleo circular no motor, usar um pouco de combustível, fazer com que os rolamentos não fiquem parados criando "calos", removendo a umidade do interior do escapamento (evita ferrugem, principalmente nas motos com motor 4 tempos) e etc; - muita gente desanima das motos (tanto modernas quanto antigas) simplesmente por não as usarem. Veículo que fica parado estraga! Isso é fato! Se aplica às motos e carros, outro bom exemplo são os barcos... Largou parado por 3 ou 4 meses, a bateria vai estar descarregada, a gasolina vai estar estragada, o carburador vai estar sujo, e a conta da oficina vai ser alta, sem contar que "aquela" voltinha com a moto foi frustrada.

- a cada saída calibre os pneus, lembre-se que a moto é antiga, ainda usa câmaras de ar, e que sofreram a ação do tempo também, ressecam,  ficando parada ela vai perder calibragem, pilota-la descalibrada vai ser desconfortável, perigoso e alem do mais, danifica o pneu e o expõe a furos com maior facilidade;



- mantenha o tanque de combustível sempre cheio: ferrugem no interior do tanque é um dos males aos quais motocicletas antigas estão expostas, o que causa ferrugem ?  o contato do metal desprotegido com o oxigênio presente na atmosfera (vapores de combustível contribuem pra piorar a situação), portanto, se o tanque estiver cheio, não há como o oxigênio entrar em contato com a lata da parte interna e desprotegida do tanque.  Sem ferrugem - sem carburador sujo - motociclista feliz;



- quem já está com problema da ferrugem dentro do tanque de suas motos, não precisa se desesperar, há salvação! Pode-se recorrer a um recurso muito legal e eficiente que se chama "tank film". É um filme aplicado no interior do tanque (especie de emborrachamento) que isola as paredes internas do contato com o ar e também do combustível, isolando a ferrugem;

- combustível de boa qualidade - eu procuro colocar em minhas motos antigas apenas a gasolina "podium", pela simples razão que esse combustível dura mais do que as gasolinas comum e aditivadas. Como ando pouco (porém frequentemente) com as motos, a conta não sai nada cara, e essa durabilidade extra é bem-vinda.  Pra quem roda bastante com suas antigas, essa dica não faz sentido, pois se roda bastante não vai haver tempo da gasolina estragar no interior do tanque, use apenas gasolina de fonte confiável;


- um hábito muito saudável: poucos metros antes de chegar a sua garagem, voltando do passeio, feche a torneira de combustível, mantenha a moto funcionando até que o motor "morra". Com isso você retirou toda a gasolina do interior do(s) carburador(es) e evitará a formação da borra em seu interior. Essa borra é o que faz com que o carburador viva "entupindo" ou sujando com frequência (ai aparece a gasolina podium novamente: ela tem menor tendência a formação de borra).  Para partir a moto no próximo passeio, basta abrir a torneirinha, "bombear" o acelerador umas 10x, puxar o afogador e dar na partida;

- principalmente para as motos que tem partida elétrica, recomendo que embaixo do pézinho ou cavalete, seja colocada uma borracha (pode ser câmara de pneu usada recortada). Esse costume faz com que a moto não fique aterrada ao solo (ela fica apoiada nos pneus e no pézinho isolado pelas borrachas), e desta forma isolada não há fuga de corrente elétrica;

- quem possui motos com carburadores duplos, triplos ou quádruplos, até mesmo os felizardos que tem motos com carburadores sêxtuplos, recomenda-se que a moto seja guardada em seu cavalete central e não apoiada no pézinho lateral, ficando o pézinho apenas para paradas durante o dia. Com isso os carburadores ficam alinhados e algum eventual resíduo de combustível que sobre dentro deles vai permanecer distribuído por igual entre os 2, 3, 4 ou até 6 carburadores, evitando que a carburação perca a equalização;

- outra dica importante é com relação as trocas de óleo, que devem ser feitas de acordo com a quilometragem rodada OU tempo, neste caso de 6 em 6 meses. No caso de colecionadores como eu, que rodam muito pouco, agendar a troca semestral é a regra! Com o tempo o óleo perde suas características de lubrificação, e ninguém quer a moto rodando com óleo vencido, né ?




Bem, com referencia ao tema do vendedor da moto que citei no começo da matéria, da pintura não "aguentar" os 30 anos, vocês hão de convir comigo: uma moto bem conservada e com a pintura original (ainda que com pequenas e naturais marcas do tempo) deve ser mais valorizada do que uma moto repintada, por melhor que tenha sido a repintura.  Uma pintura original demonstra bons tratos e cuidados ao longo da vida da motocicleta!


Você se preocupa com a manutenção de sua clássica?  Veja as outras matérias que publicamos em manutenção.

Um comentário:

  1. Se eu adicionar uma porcentagem de querosene refinado com o abastecimento, ele ajuda na diluição do maligno alccol contido nela, melhorando e protegendo os componentes internos da moto/

    ResponderExcluir