quarta-feira, 30 de outubro de 2013

PEÇAS. ONDE ENCONTRAR ? O QUE VALE A PENA GUARDAR ?

Bem amigos, aí entramos num tema que é comum a todos, tanto os que resolvem restaurar suas antigas, quanto os que garimpam sua raridade quase zero km: das peças ninguém escapa.

Em minha opinião, ter uma moto antiga e não se preocupar em ter um estoque de peças é um contra-senso pois, mais cedo ou mais tarde você precisará de alguma peça e, sem duvida a cada dia a oferta é menor.

Mas, que peças devo comprar ?

Peças de desgaste programado são obrigatórias pra qualquer colecionador que se preze: 

- filtro de ar
- rolamentos 
- cabos (acelerador, embreagem, freios, velocímetro, contagiros, afogador, descompressor e por aí vai)
- pastilhas e sapatas de freio
- lâmpadas
- fusíveis 
- relação de transmissão 




Numa segunda categoria vem as peças de importância visual e que se danificam em algum pequeno acidente:

- manetes
- manoplas
- capa de banco
- pára-lamas 
- guidão
- espelhos
- borracha das pedaleiras
- pedais de freio e câmbio
- bloco do farol
- protetor da corrente etc



E por fim, peças mecânicas,pra quem é exagerado e que ver a moto funcionando por mais 30 anos:

- pistão
- anéis
- magneto
- juntas
- comando de válvulas 
- corrente de comando




Como encontrá-las ?

Bem, vamos começar pelo caminho mais simples ? O balcão de uma boa concessionária. Sugestão:  não vá até a concessionária enorme, bonita e maravilhosa que abriu no verão passado - acabou de abrir ? Não vai ter peças de motos antigas.  Procure pelas mais antigas e tradicionais concessionárias. É um bom começo.  

No balcão de peças, pergunte pelo catalogo de peças do modelo de sua moto (catalogo esse que você deve dar um jeito de conseguir, que seja Xerox, ou baixado da internet, ou comprado em sites de compras -- pra baixar da internet é free, Xerox é baratinho, mas pra comprar o original, prepare-se, quem tem pede muito caro por eles...enfim, será um bom companheiro em seus finais de semana) e descole os códigos da peça que procura.  Algumas são absurdamente baratas, imagine ao mesmo tempo que pra você é uma "raridade", pra concessionária é uma peça que esta simplesmente encalhada há 30 anos!  Chore por um desconto e normalmente consegue-se de 30 a 50% ou mais (procure o gerente se for uma compra de valor razoável). Mas aí estamos falando da situação mais simples do mundo: entrar na concessionária, pedir a peça, eles terem disponível e darem desconto.  Infelizmente o mundo não é tão perfeito assim, e garimpar as peças tem esse nome justamente por tratar-se de procurar uma agulha num palheiro.






Caso a concessionária não tenha a peça, alegre-se, você já tem o código.  Próximo passo é pedir para que eles "via sistema" procurem pelo código aquela peça em outras concessionárias, e funciona as vezes...  As peças aparecem, mesmo que estejam a 4.500 km de distância de você.  Aí, um telefonema, uma conversa amigável com o pessoal de peças da concessionária, localizada a peça no estoque, negociado valor e sedex - pronto! Sua peça em poucos dias estará em sua casa.

Bem, mas nem tudo são flores, e existem as peças que constam do tal sistema mas não existem fisicamente nas concessionárias, ou que o responsável por peças da concessionária distante não esta afim de chafurdar no estoque empoeirado pra achar aquela pecinha pentelha que não vale quase nada e da um trabalhão do cão ...  Mais fácil dizer que o sistema esta errado e a peça não existe. Pronto, foi-se a esperança.  Aí, temos outra alternativa: pegar a relação das concessionárias no site do fabricante, sentar com paciência ao lado de um aparelho de telefone e começar, uma a uma, a telefonar pras concessionárias e tentar a sorte grande, pois segredo: nem todas as concessionárias cadastram seus estoques no tal sistema. Então, as vezes não aparece no sistema, mas elas existem em algum canto do Brasil. Dá trabalho, é verdade, mas no dia que você encontrar e colocar a mão na danada da peça, vai sentir-se como que levantando um troféu!

Bem, caso as concessionárias não tenham a peça (to falando de marcas que ainda tem concessionárias abertas, se for Agrale, Motovespa, Montesa etc aí pode partir logo pras dicas que estão abaixo):

Praticamente pra cada marca, as vezes até modelo de moto, existem os especialistas. Quem são eles ? Caras espertos, que há 10 ou 15 anos pensaram que um dia alguém ia querer aquelas peças e estariam dispostos a pagar bem por elas, e foram limpando o estoque que se tornava obsoleto nas concessionárias.  Simples né ? Mas haja paciência, se imagine hoje, em 2013, saindo de concessionária em concessionária comprando peças de Honda Tornado ? Oras, um dia vão virar raridades...  Enfim, a internet é uma boa aliada pra te aproximar desses especialistas, em sites como "mercado livre" ou no www.motosclassicas70.com.br onde há uma seção de anúncio de peças. Também algumas lojas da região central de SP estão se especializando em antigas, vale a pena dar uma olhada. Apenas lembre-se, ao contrário das concessionárias, que querem se livrar a qualquer custo das peças obsoletas, dando descontos inclusive, os especialistas fizeram disso seus negócios, estão ali pra ganhar dinheiro e quanto mais obsoleta, quanto mais rara for a peça, mais caro te cobrarão por ela.  Mas são caras organizados, um deles em São Paulo (www.hondasa.com.br - os atenciosos Dárcio e sua filha Daniela) diz ter mais de 40.000 peças em estoque. E deve ter mesmo, muito do que procurei eles tinham.

Bem, e por fim sobram 2 últimas opções:

As peças usadas - eu considero como ultima opção mesmo, pois há o risco de ser peça de moto roubada (isso mesmo, estão roubando as antiguinhas também) ou, por serem usadas podem não estar em bom estado, tem que avaliar caso a caso.

As peças do mercado paralelo.  Essas eu não considero como uma possibilidade, e acredito que qualquer colecionador sério vai evitar ao máximo ter uma peça não original em sua motocicleta.


Ahhhh já ia me esquecendo, para algumas motos, é possível comprar peças fora do Brasil. Montesa na Espanha, Hondas, Yamahas, Suzukis no mundo todo (UK, USA em especial), os códigos de peças felizmente são iguais em todo mundo, e-bay.com é um bom ponto de partida, mas existem outros sites como partspitstop.com com uma infinidade de peças, organizadas por ano, cor, modelo, e código da peça. Muito fácil de achar e com preços bem razoáveis. Infelizmente nem todo modelo lançado no Brasil tem similar fora do Brasil, muitos desenvolvimentos foram quase 100% nacionais. No entanto classicas como CB400 / XL250R são motos que gozam desse benefício.

Amigo leitor, uma vez que você esteja conseguindo juntar peças e formar um estoque particular de peças para sua moto, recomendo que você organize-as em caixas e coloque numa planilha código, descrição, quantidade, caixa onde se encontra a peça, moto pra qual ela serve, valor que pagou por ela e data da aquisição. Desta forma, quando precisar da peça será fácil recupera-la e talvez até, quando algum outro colecionador precisar de uma peça que você tenha, saberá quanto cobrar dele pela peça.



Quem leu até aqui deve estar cansado, até decepcionado. Se não for colecionador ainda, mas estiver no caminho, talvez até desanimado de começar a coleção, mas vai o aviso: a garimpada dá prazer! Faz com que nossas motos se tornem objetos cada vez mais exclusivos e raros, então vale a pena. Não há definitivamente ganho sem perda!

Boa sorte!



Você gostou desta matéria? Se preocupa com a manutenção de sua clássica?  de uma olhada na nossa seção de manutenção.





Um comentário:

  1. Essa é a melhor parte, um "setor de peças" dentro de casa... só não tenho coragem de vender nada de lá... rsrs

    ResponderExcluir