terça-feira, 16 de setembro de 2014

MOTOCROSS - OS CAMPEÕES MUNDIAIS DOS ANOS 80

Dando continuidade a série onde falamos dos grandes campeões da década de 1980, entramos agora no tema "Motocross".

Motocross, pelo menos pra nós brasileiros, era muito forte naquela década. Haviam provas do mundial realizadas no Brasil, a mídia dava um apoio importantíssimo, o publico frequentava as pistas de motocross em massa!

Para nós, era a era off road!  A época dos grandes enduros, dos rallies africanos de longa duração, das motos 2 tempos roncando alto nas pistas de motocross, era época do supercross também...

Vamos falar hoje da "categoria rainha" do motocross mundial daqueles tempos, as 500cc.  Hoje essa categoria nem existe mais, as nomenclaturas mudaram em 2002, assim como os motores deixaram de ser 2 tempos e passaram a ser 4 tempos! Mas, naqueles tempos, era a categoria que representava a expressão máxima de desempenho em um circuito de motocross!

Sem dúvida, o inglês David Thorpe foi o grande nome na década de 1980, correndo exclusivamente com motos Honda (a incrível CR500):

1990 – Eric Geboers (Bélgica – Honda)
1989 – David Thorpe (Grã Bretanha – Honda)
1988 – Eric Geboers (Bélgica – Honda)
1987 – Georges Jobé (Bélgica – Honda)
1986 – David Thorpe (Grã Bretanha – Honda)
1985 – David Thorpe (Grã Bretanha – Honda)
1984 – André Malherbe (Bélgica – Honda)
1983 – Hakan Carlqvist (Suécia – Yamaha)
1982 – Brad Lackey (Estados Unidos – Suzuki)
1981 – André Malherbe (Bélgica – Honda)
1980 – André Malherbe (Bélgica – Honda)


David Thorpe em 1986 - Honda CR500

Havia outro nome, expressivo também que era o belga André Malherbe, abocanhou outros 3 títulos naquela década...

André Malherbe - corria também com a Honda CR500

Não menos importante, e talvez a real grande vencedora do mundial daqueles anos, foi a insuperável Honda CR500.  Em apenas 2 ocasiões o titulo não foi da Honda, numa seqüência incrível de vitórias que só veio mesmo a ser quebrada em meados dos anos 1990!

CR500 1983 - baixo peso, potencia controlável e robustez fizeram dela um mito!
O Brasil teve um representante importantíssimo, alias, o primeiro brasileiro a correr uma temporada inteira do mundial em 1977 - Roberto Boettcher:


O brasileiro - goiano Roberto Boettcher
A estrutura de Beto Boettcher resumia-se a um mecânico/motorista, uma van e 2 motocicletas!

Beto na etapa da Alemanha em 1977

Curtiu essa matéria? você se interessa pelas competições dos anos 1980?  dê então uma conferida em nossa seção "competições"

Nenhum comentário:

Postar um comentário