domingo, 7 de dezembro de 2014

ARQUIVO: CHEGOU! XLX350R

XLX350R em seu lançamento, inicio de 1987, testada em condições muito especiais:  -Realizado pelo Josias Silveira (fundador e diretor da Revista Duas Rodas), e direto no "ninho"das XLX nacionais - em Manaus, AM.

Confira!













curtiu essa avaliação? confira outras em nossa seção ARQUIVO

3 comentários:

  1. Japoneses podem até fazer coisas maravilhosas, mas conseguem também estragar essas maravilhas, vide XLX 350, CBX 750F, entre outras.
    Andei muito nas antigas XLs 350, maquinão mesmo. A Sahara(arghhhh!), realmente, algo impublicável. Era melhor na aerodinâmica, e só. Parecia sofrer mais quando com garupa, parecia que toda aquela quinquilharia pesava uma tonelada, nem parecia a mesma moto. Por isso até hoje as XLs valem bem mais que as Saharas.
    Dias desses, um anúcnio aqui na cidade pedia um valor 3 mil Reais a mais que uma Sahara, que ficou encalhada numa loja de usadas por muito tempo. O lojista, conhecido meu, disse que Sahara só em consignação, não compra mesmo. Uma pena. Uma especialidade da Honda em piorar o que era bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jorge, tudo bem? concordo contigo, mas vale lembrar que Sahara eh uma adaptação "sansei"- made in brazil!!! não eh um projeto japonês autentico. A Honda Brasil naquela época tinha que lidar com pequeno volume de vendas e a necessidade de novos produtos imposta pelo mercado... o jeito (porco) foi adaptar...

      Excluir
  2. Discordo um pouco destas opiniões. Ambas são ótimas motocicletas, cada uma em sua proposta. Comprei uma Sahara 1991 em 1993 e conservo ela até hoje. Concordo com o fato da carenagem tornar a moto um pouco mais pesada, principalmente em trilhas, porém a vantagem na estrada é sensível. E com todo respeito às XL350, a vantagem da partida elétrica é inquestionável, inclusive foi o fator determinante no momento da compra :-)

    ResponderExcluir