terça-feira, 10 de novembro de 2015

A "moto de 10 metros"

Há um termo engraçado que deixa claro o que vem a ser uma moto antiga efetivamente de coleção e uma moto antiga reformada sem muitos critérios.  "Moto de 10 metros"...

"Moto de 10 metros" é aquela que brilha nas fotografias como se fosse zero km, impressiona mesmo. Quando a vê parada em uma exposição, chama atenção... Mas o encanto acaba quando você se aproxima a menos de 10 metros dela. Os detalhes começam a saltar a vista é literalmente "matam a moto".

Vou citar alguns exemplos, mas são apenas exemplos mesmo, a criatividade dos "reformadores" que existem por aí é tão grande que seria necessário uma seção de bizarrices pra listar todas elas. Os mais grosseiros são:

1- tudo pintado e envernizado:  pra que seguir o que a fábrica fez? Se o tanque era pintado e recebia adesivos, podemos dar um jeito na falta dos adesivos e pintar tudo, afinal tem um pintor super talentoso no bairro que já pintou a moto de fulano de tal...  E fica realmente parecido, até que você se aproxime e perceba que não existe o adesivo no lugar.  Ou então as tampas laterais, cujo plástico já era injetado na cor final, recebem uma camada de tinta, adesivo e depois verniz em tudo, "pra ficar protegido"! 

2- cromo: lá interessa saber se a fábrica cromava, zincava ou providenciava outro acabamento nas peças?  Bobagem, cromo fica bem melhor, e tem um cara com uma galvanoplastia aqui na esquina que faz milagres, recuperando até peças carcomidas pela ferrugem..  Conclusão, fica um festival de brilhos artificiais. Aros, raios, parafusos... De gosto duvidoso, alguns até mostrando as cicatrizes de ferrugem por baixo do cromo, mas absolutamente fora dos padrões originais, uma aberração.






3- capa de banco: ahh a capa original rasgou toda, encontrar uma não é fácil, mas se na XL colocar capa escrito XLX ou Honda, ninguém vai notar!! Argh!  Fica nojento isso. - veja abaixo, a mesma moto (ano/modelo) com diversas capas de banco diferentes... uma lambança!

Capa de Banco:  Saiu assim da Fábrica:  250R
Essa com a capa 250R mas cadê o azul?



Aqui a cor manteve-se, azul, mas escrito Honda


Capa XLX?  apesar dela ser uma XLX, a capa deveria ser azul e escrito 250R...

Outra escrito HONDA, mas já posicionado mais perto do tanque da moto...



4- plásticos e peças originais:  Outro dia conversando com um conhecido sobre o fato dos plásticos da minha  XL serem todos originais, ele disse que "isso não se encontra mais" e que " as XLs que tem por aí estão em sua maioria com plásticos do mercado paralelo" ... Bem, eu discordo.  Os plásticos originais da XL existem à venda sim, difícil de achar e caros sem dúvida, mas existem. E não sou o único não, conheço muitos colecionadores sérios que exibem suas XLs com tudo originalzinho... Então, antes deve-se verificar exaustivamente a existência do plástico, nada de acreditar nessas lendas urbanas que tal peça não existe mais, e de preferência ponha tudo original em sua moto.

Freio a disco na XL  ( a capa do banco ajuda a caracterizar a
"moto de 10 metros"também)


5- intervenções técnicas: muito comum também é XL com freio a disco - "dizem que fica melhor", motos com suspensões trocadas por de outros modelos... Poxa, pode até ficar melhor tecnicamente, mas não é isso absolutamente que buscamos - quando se fala de uma motocicleta para coleção, fala-se de mantê-la como era quando saiu da fábrica, com suas qualidades e defeitos.






6- painel:  outra troca muito comum e nojenta em minha opinião são as trocas de painel, o de XL250R pelo de XLX250R é o mais comum de todos, até anúncios de painel no mercado livre incentivam a confusão, os painéis são parecidos sem duvida, mas diferentes, veja:

Esse é o painel original da XLX250R:

XLX250R: na foto os 2 de baixo, note que tem um "+" no grafismo do fundo e a faixa vermelha começa nos 9.000 RPM

XL250R - grafismo mais "limpo"

XL250R alem do grafismo mais limpo, note a faixa vermelha começando nos 8.500 RPM



Aro cromado?

E esse grafismo? ponteiro? colocaram a faixa vermelha nos 6.000 rpm!!!!!!



Bem, falamos de coleção certo?  então vamos manter em mente mante-la como veio ao mundo, as evoluções técnicas vieram nos modelos seguintes...  não fica bacana trocar peça, ou "atualizar" a moto antiga!  Lembrando que a graça está nos detalhes, não corremos o risco de ter uma "moto de 10 metros"...


5 comentários:

  1. onde consigo comprar aqui em sp o painel da xl 250 r 1988?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávio, 1988 não é XL250R, e sim XLX250R. você consegue encontrar no site mercadolivre - dá uma conferida na Hondasa (anuncio no setor de peças) e outros anunciantes.

      Se fosse da XL250R eu podia te ajudar, pois tenho um conjunto usado, mas infelizmente são diferentes.

      abraço

      Excluir
  2. Bom dia Diego, vc disse que tem o painel da xl, vc vende? Tenho uma 83 e estou procurando o painel original. Achei vários da XLX mas quero o original da xl mesmo. Abs

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Philipe - posso sim disponibilizar o conjunto pra você. Me manda por favor um e-mail em diego.rosa@motosclassicas80.com.br e lá posso te mandar algumas fotos e negociamos. Abraço.

    ResponderExcluir