quinta-feira, 9 de junho de 2016

Acessórios de época

Os acessórios sempre estiveram em moda! Se hoje os motociclistas enlouquecem e investem um valor importante em "manoplas e manetes Rizoma e nas bolhas puig", a bola da vez nos anos 80 eram Circuit, Buffalo e Caramori.

Eu, pra ser bem sincero, não gostava muito de encher as motos de acessórios, não sei por qual razão, mas sempre preferi tudo original. Mas é fato que, hoje em dia, motos clássicas com acessórios de época são muito bem vistas!




O número 1 naqueles tempos era o chamado "mata cachorro" (protetor de motor), que, apesar do nome bizarro, não tinha intenção de matar e muito menos ferir os cães (muito embora acredito que o nome não deva ter surgido por acaso) - sua função era de manter o motor da motocicleta longe do solo em caso de uma queda.



O protetor sofria os danos, sendo "lixado" ou amassado em contato com o asfalto, mas o motor da moto nada sofria.  Efeitos colaterais? Sim, invariavelmente, no local de sua fixação no quadro da moto a tinta original acabava por ser removida pelo atrito e a ferrugem ali aparecia!
Além disso, dependendo do tombo, o motor era protegido, mas o quadro acabava por sofrer alguma deformação.   O Mata-Cachorro era base para outro acessório de época: O Farol de milha - nada mais atual nos anos 1980 que faróis de neblina amarelos com "lâmpadas de iodo"...                                                                                                                                              



Por falar em faróis de neblina amarelos, quem não se lembra das lentes de lanterna fumê?  Pois é, era bacana tirar o vermelho e o laranja da traseira da moto e deixar tudo fumê, eu mesmo coloquei fumê em uma XLX que usava... apesar de ser proibido pelo código de transito, era muito usado e a fiscalização dificilmente incomodava o motociclista por conta disso.



Já nas motocicletas com motor de ciclo 2 tempos, o grande barato era colocar um "Dimensionado", era como chamávamos os escapamentos esportivos.  Uma DT180 com um escape desses virava "o bicho"!






E os bagageiros?  podiam ser úteis pra quem viajava... mas fala verdade, uma moto com a "churrasqueira" (como chamávamos na época) adaptada na traseira fica medonha.



Alongador de bengalas e aros de alumínio eram a ultima moda pro pessoal do off road, o alongador, sem duvida deixava a moto mais alta, com maior vão livre do solo e um visual bacana, mas muitos imaginavam que a instalação desse acessório aumentava o curso da suspensão, o que não acontecia na realidade.

Já por outro lado, os aros de alumínio eram eficientes e traziam apenas vantagens: Garantiam menor peso nas rodas e maior resistência, se comparados aos aros de aço originais das montadoras, sem falar que alumínio não enferruja.  A primeira montadora no Brasil a oferecer aros de alumínio já de fábrica em algumas de suas motos foi a Agrale no final dos anos 1980.  Nas Agrale os originais eram os Two-Brothers, mas a marca que se fortaleceu no mercado foi a Three Heads - existe até hoje.

Pessoal das off-road também curtia trocar os tanques originais de aço por outros de plástico injetado - com maior capacidade e mais resistentes aos comuns tombos do fora da estrada, Buffalo era o mais comum, e muito apreciado ainda hoje.


Os estradeiros seguiam o melhor estilo "Chips" - e usavam os para-brisas...  Adaptados em motos, desde a CG125, sendo muito comum na CB400.

Finalmente, herança dos anos 70, os escapamentos 4x1 ou 2x1 para as motos 4 tempos eram o máximo, nas 4 cilindros como a CBX750F tinha uma sonoridade excelente, mas já nas CB400 - há controvérsias, pois o visual era legal, enquanto o som....



...depois, pouco mais tarde, afastando-se um pouco dos anos 80, vieram alforges com franjas, franjas para manetes - acompanhando uma linha "custom" que surgia aqui com a abertura das importações em 1991...

Você curtia as motos originais ou equipadas?  e hoje, prefere uma clássica equipada?












2 comentários:

  1. Bom, eu sempre preferi originais, mas um para-brisa para a CB, isso cairia muito bem. Só quem roda com uma na estrada, sabe a falta que faz.
    Uma clássica que eu gostaria de ter, já vem equipada: Yamaha XJ 900. Linda moto.

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto de motos originais, mas alguns acessórios são bacanas, me lembro que nos mata-cachorros, se adaptavam uns refletores que "abraçavam" e refletiam na frente e atrás, na época achava meio "brega" mas agora que são raros, acho legal..:) na minha CB estou colocando uma carenagem Dino que era usada também pela PRF, que acho muito bacana, outro acessório legal era um indicador de combustível que era colocado no lugar da tampa do tanque nas Hondas japonesas...
    Abração
    Molina

    ResponderExcluir