quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Rock, Surf, Moto - a grande explosão dos 80

Eu nunca subi em uma prancha de surf, por viver afastado do mar e também por não levar jeito pra coisa (skate servia pra comprovar a tese).

Mas, nos anos 1980, eu comprava na banca de jornais além das tradicionais "Revista Duas Rodas" e "Motoshow", a revista "Fluir".

Me encantava com as imagens, que muitas vezes terminavam nas capas de caderno da escola, Picuruta Salazar, Fabio Gouveia, Teco Padaratz... esses caras mandavam bem sobre as ondas, aqui e também corriam o mundo a surfar - Hawaii, Bali, Africa do Sul, Peru... "Altas ondas".  Essas revistas também traziam fotos de mulheres maravilhosas.
O mundo vivia um momento único.  Muito se fala do romantismo dos anos 1970, maconha, paz e amor, hippie,  e o distante woodstock... e pouco se fala das realizações dos anos 1980:

Campeonato mundial de motocross no Brasil


- Hangloose pro Surf Contest 1986 na Joaquina, em Floripa

- Rock in Rio de 1985

- Movimento Diretas Já de 1984



Puxar o assunto pro lado do Rock nos anos 1980 é até sacanagem, se nos 70 haviam Raul Seixas e Rita Lee, nos 80´s tínhamos:  Plebe Rude, Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Capital Inicial, Ira!, Barão Vermelho, Titãs, Lobão e os Ronaldos, RPM, Zero - sem nos esquecer das bandas punk: Cólera, Inocentes, Replicantes, Ratos do Porão e Heavy Metal: Sepultura.



As bandas de rock davam voz a nossa geração, eles nos entendiam e traduziam nossos anseios, tornando-os verdadeiros hinos, quem não se lembra do Cazuza cantando "Pro dia nascer feliz" no Rock in Rio em 15 de janeiro de 1985, momento exato em que o Brasil conseguia eleger seu presidente, ainda que por voto indireto!?

O Brasil vivia uma fase de esperança!  Percebíamos que: o que sonhava-se nos anos 1970, realizou-se nos anos 1980. Eramos capazes de organizar festivais, de musica, de surf, de motociclismo, conhecemos e respeitamos as drogas, mas preferíamos o sanduíche natural na praia, continuávamos a gostar do futebol, mas aprendemos que haviam outros esportes - surf, motociclismo, skate, o vólei com a "geração de prata".


E é focado neste momento em que se desenvolve o nosso site, essa eclosão social, quando o brasileiro livrava-se aos poucos da censura, da ditadura, expressava-se nas cores fluorescentes da onda "new wave", dos biquínis asa delta cavadíssimos - aprendíamos que, se o Brasil era grande, o mundo era maior, e esse era efetivamente o limite de onde nossas motos podiam nos levar, o Rally Paris Dakar e o Camel Trophy, outros "filhos dos 80" nos mostravam que não haviam limites - podíamos chegar a qualquer lugar deste planeta! E nós fomos...

3 comentários:

  1. A década de 80 foi mesmo ótima, só faltaram mais variedades de motocicletas no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. kkk época da minha libertação com minha valente Agrale SXT 16.5 1985... o mundo era meu, quantas viagens Lorena/SP á Nova Lima/MG ... mais de 500 kms de ida... um mundo muito diferente do que é hoje...
    Hollywood Motocross - Campos do Jordão - Circuito Sobre as Nuvens... Enduro das Praias Bertioga...e tantas coisas mais... saudosismo purooo

    ResponderExcluir
  3. So quem foi jovem nos anos 80 pode explicar a magica daqueles tempos. Gastei muito dinheiro de mesada Nas mesmas revistas. Era surfista so na imaginacao.
    Obrigado por traser um pouco Dessa memoria toda.

    ResponderExcluir