quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Uma coincidência clássica

Uma linda BMW R 100 GS chamou atenção do jornalista
No final de julho estava com meu scooter na Avenida Tiradentes, em São Paulo (SP), quando parou ao meu lado uma rara BMW R 100 GS Paris Dakar. A placa de Belo Horizonte (MG) chamou atenção e conseguimos ter “um dedo de prosa” antes do trânsito fluir. O papo foi rápido, ele deixou a capital paulista pela Marginal Tietê e eu segui em frente, rumo a 23 de Maio. Mas o destino estava a meu favor.


Naquele dia, ao abrir minha página no Facebook, tive uma grata surpresa. Eu e o dono daquela BMW temos um amigo em comum: o Pino Rossi que é proprietário do Fornace Ristorante em Cachoeira Paulista (SP). Uma foto mostrava o Pino posando ao lado da BMW R 100 GS junto com o seu proprietário. Imediatamente mandei uma mensagem para o Pino e depois adicionei o dono da moto.
Pino (à esquerda) e Marcelo em Cachoeira Paulista

De quem é a BMW?
Seu nome é Marcelo Resende um cara que sempre gostou de motos, viagens e visitar os amigos distantes. No currículo ele ostenta diversas aventuras pelo Brasil e por outros países o que demonstra sua paixão pelas motos e as longas jornadas.
 Mesmo com tanta experiência – é motociclista há mais de 30 anos e sua primeira moto foi uma Yamaha TT 125 – Marcelo se mostrou muito feliz com a sua clássica BMW. Trata-se de uma big trail R 100 GS, ano 1992. A moto traz o apelo das areias africanas em seu nome e também no pedigree. Segundo Marcelo, ele sempre desejou ter uma moto clássica e até já teve em sua garagem algumas trails japonesas. “Ainda assim, sentia falta de uma moto grande, uma moto especial”. Depois de muito namoro conseguiu comprar essa moto em Campinas (SP).

Prazer da estrada
Manuais do proprietário se destacam na BMW
A BMW estava em ótimas condições, ainda assim precisava de uma revisão mais profunda antes de ir para a estrada. Após a revisão começaram as boas surpresas que somente uma moto clássica é capaz de oferecer.
“Viajar com ela me permitiu desfrutar ainda mais da estrada, afinal não podemos simplesmente subir na moto e acelerar, é preciso dosar e respeitar a máquina”.  Marcelo contou que rodou mais de 2.000 km pelos estados de São Paulo e Minas Gerais. Foi a chance de rever alguns amigos, desfrutar da moto e conhecer um prazer diferente que só uma clássica é capaz de oferecer.

Na grande mídia
Seu relato foi muito interessante e claro que pedi autorização para publicar as fotos e uma parte da história de sua BMW R 100 GS aqui no Classicas80. Mas antes disso, fiz questão de escrever também no Portal UOL e assim mostrar ao público em geral como é interessante possuir uma moto clássica. O artigo teve grande repercussão e muitos comentários positivos. Se quiser ler clique aqui.

2 comentários:

  1. Marcelo, você tá de parabéns! A moto é lindíssima! Uma raridade sem duvida, cuide-a com carinho, ela merece!

    ResponderExcluir