quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Seremos punidos por poluir?

Como de costume, li esta semana a sempre genial coluna do Roberto Agresti no site da UOL, onde ele, com absurda propriedade discorreu sobre o Futuro da Motocicleta, com a iminente transformação dos motores de combustão em elétricos.

Aqui no Motos Clássicas 80 estamos sempre acostumados a olhar pelo retrovisor (que é bem mais fácil inclusive!), mas ao final da leitura veio uma reflexão:  haverá espaço para nossos veículos nesse futuro?


Agresti em certo trecho da reportagem diz que: "Moto a combustão no futuro será vista com olhares de desaprovação, como um fumante dentro de um ambiente fechado? Na Alemanha, pelo visto, esse é o caminho." ai me arrepiei, pois fez sentido, ele parece ter razão.


Em meus momentos de "exercício de futurologia" eu entendia como nostálgico e que "nossa turma" seria sempre bem vinda, fumaceando e fazendo barulho pelas então silenciosas ruas do futuro, povoadas por elétricos insossos, mas lembrando de um passado não muito distante, cerca de 20 anos atras, quando eu pessoalmente voei em voos comerciais na Europa com fumantes que acreditem: fumavam charutos dentro de um avião! 
Ou os mais tradicionais e que todos se lembram voos com "áreas de fumantes", que nada mais eram que de uma linha imaginaria. Hoje, não mais do que 20 anos passados, se alguém é flagrado fumando em um voo comercial possivelmente descerá do avião algemado!

Oras, se alguém, em 1990 dissesse, ainda por brincadeira, que o fumo seria proibido e mal visto em quase todo o mundo, será que alguém acreditaria? possivelmente não. Se dissesse que seria punido com prisão por fumar em aeronave? não né?!

Pois é, mas o que Agresti nos alerta é parecido com isso, será que nossas motos poderão circular em vias publicas no ano de 2050? ou apenas em eventos especiais em parques fechados?

Alimentando a mente com essa nova visão, lembrei-me de minha infância no interior de SP, e que pela cidade sempre haviam cavalos, as ruas eram frequentemente embosteadas e o pouco transito que havia havia, tinha paciência para com os animais e seus condutores chapeludos. Hoje em dia não há mais espaço para eles, a paciência dos condutores de automóveis se foi, a tolerância com as ruas embosteadas também...

Seremos nós obrigados a prensar nossos veículos?  seria a já conquistada desoneração de impostos (IPVA) revertida em uma tremenda oneração?  seremos punidos por poluir?  ou nossas queridas motocicletas ficarão restritas às nossas salas de estar?!






3 comentários:

  1. Esse futuro me dá um medo danado. O som de motores, a sensação do motor nas mãos, são coisas inigualáveis, demais. Mas aqui na USP de São Carlos, SP, lembro de um professor que era estudante dessa universidade(a noite lecionava como bico na escola onde eu estudava), e me disse que ele e seus colegas, fizeram gasolina no laboratório, e isso em 1988. Mas será que o futuro acabará com nosso combustível fóssil? O fóssil, com certeza sim, mas ficaremos com a opção de laboratório ou não? Veremos.

    ResponderExcluir
  2. ....eu quero que se dane, vou é fazer muita fumaça com minha Monstrosssaura Agrale Elefant Dakar 30.0, e meu Volkawagen Sedan 1200 ... hoje com 52 anos, ainda vou queimar muita lenha na churrasqueira e beber muita cerveja, relembrando os bons momentos que vivi.... Vamos viver a vida, que é muito boa...e aproveitar nossas antiguidades ate onde nos for possível...rsss abração Diego e amigos...

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela matéria, sou um proprietário de uma shadow 600 e sempre mantenho ela original ela ainda não é uma clássica, porém tenho vontade de deixar ela para os meus filhos e netos, com este futuro incerto fico na dúvida se isso será possível.

    ResponderExcluir