quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Uma clássica nas montanhas



Há alguns meses fiz uma viagem bem legal e gostaria de dividir a experiência com os amigos do Motos Clássicas 80. Ela serviu para confirmar a igualdade que ainda reina no mundo das motos, principalmente entre os usuários dos modelos fora de estrada como as aventureiras big-trails e as leves on-off
Rodei pouco mais de 200 km entre Atibaia e Cachoeira Paulista (pertinho de Aparecida, ainda no estado de São Paulo). Uma viagem curta e sossegada para encontrar o amigo Pino Rossi. Pino é um entusiasta do moto turismo e sempre convida os motociclistas para viajar pela sua região e assim desenvolver o turismo rural. Além de grande motociclista e aventureiro, Pino é proprietário (e chef) do Fornace Ristorante – que eu recomendo!!!! 

O encontro foi a chance de conhecer outros motociclistas e rodar pelas estradas que cortam as montanhas da Bocaina, subindo a Serra da Mantiqueira. O evento, chamado Happy Hour MTA (Moto Turismo de Aventura), sempre reúne amigos de vários lugares com motos bem diferentes. Eu por exemplo, estava com uma Honda XRE 190 e acompanhei outras motos como as BMW F 800 GS, Triumph Tiger, Yamaha Ténéré 660 entre outras big-trails inclusive uma invocadíssima KTM  Adventure.


Hora da descoberta

Em meio a esse mar de motos grandes, novas e modernas uma classuda Honda XL 250, ano 1985, chamou atenção.
Seu motor alimentado por uma dupla de carburadores funcionava redondo e a XL acompanhava o grupo sem o menor problema. Trazia algumas marcas do tempo, porém nada de relaxo, apenas o uso intenso da moto.
Além da moto, seu dono, chamado Cristóvão Bustamante (foto ao lado) também se destacava. Talvez por estar totalmente despreocupado com um possível tombo, subia a descia as trilhas sempre buscando lugares novos e caminhos inéditos.
Para os outros o peso da moto e o risco de um prejuízo por conta de uma queda funcionavam como uma trava.
No fim todos se divertiram e terminaram o dia com várias histórias para contar. Conhecemos paisagens incríveis e fizemos novos amigos, coisas que só o motociclismo proporciona.

Voltamos com mais alguns “causos” na bagagem , porém a XL parecia ser soberana. Ela era até mais velha que alguns integrantes do grupo e, ainda assim, mostrava que o importante não é a motocicleta que o piloto tem na garagem e sim a vontade de se divertir. Para mim aquele final de semana foi especial, ele resumiu a essência do motociclismo! 
Se você quer conhecer alguns roteiros diferentes na Serra da Mantiqueira acompanhe a página do MTA (Moto Turismo de Aventura) no Facebook clique aqui

4 comentários:

  1. Muito legal, a velha e confiável xiselona 250.

    ResponderExcluir
  2. Bom ver a xizelona dando um banho nas modernas de plástico.

    ResponderExcluir
  3. Difícil afina os dois carburadores heim....A versão anterior com somente 1 era melhor, mas a moto é show!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fausto, a fama era essa mesmo! Mas quando bem afinados eles dão um show hein! Aqui na cidade sempre tivemos bons "afinadores" desses carburadores o que as tornou muito desejadas na região. Eu mesmo nunca tive uma, mas adoraria ter...

      Excluir