Enquanto isso...no outro lado do planeta (parte 2 - as 400cc)

     Pois é, morríamos de inveja naqueles tempos quando liamos nas revistas, e ainda sentimos essa inveja quando olhamos pras nossas coleções dos anos 80 e sentimos falta dessas motocicletas!
   
     Os japoneses, como contamos no post anterior, tinham (e ainda tem) um sistema de habilitação que acompanha a evolução do motociclista para lhe permitir pilotar motocicletas maiores, mas a industria foi mais esperta e provou que maior não quer dizer mais eficiente (um tapa das americanas!? talvez, mas não intencional dessa vez!).  E os pequenos foguetes de 250cc e depois de 400cc começaram a surgir.  A tecnologia incrível aplicada nesses bólidos ainda hoje, é respeitada!  Imagine naquela época!




     Se os foguetinhos de 250cc do post anterior já eram endiabrados, esses de 400cc eram considerados "racing replica".  Máquinas fantásticas que superavam com folga os 200km/h com muito mais disposição.

     Parece pouco? Vale lembrar que, naquela mesma época, motos de 750cc aqui no Brasil se esforçavam pra atingir os 200km/h!  E se nos dermos conta que uma Honda NC750X 2017 tem apenas 54,5 hp com suas 750cc?!

     O som de seus motores endiabrados, com pistões diminutos e rotações elevadíssimas é estridente em alta rotação, as vezes assemelhando-se a um 2 tempos...  um verdadeiro zunido!    A subida de giros, também pela característica de seu pequeno deslocamento volumétrico, sempre é muito rápida, trata-se de um motor de alta potência e baixo torque, que dá muito prazer a seu piloto!

     Sonhe conosco!

     Abaixo mais algumas fotos e alguns dados técnicos!


Honda CBR400RR

4 cilindros em linha
refrigeração liquida
16 válvulas
58 hp a 12.500rpm
163kg





Yamaha FZR400R
4 cilindros em linha
refrigeração liquida
16 válvulas
59 hp a 12.000rpm
157kg




Suzuki GSX-R 400


4 cilindros em linha
refrigeração liquida
16 válvulas
59 hp a 11.000rpm
152kg


Kawasaki ZXR 400R
4 cilindros em linha
refrigeração liquida
16 válvulas
58 hp a 12.500rpm
163kg

Comentários

  1. Essas 400, como ainda acontece no mercado interno japonês, são o fino da tecnologia, não devendo nada para as semelhantes irmãs maiores.
    E naqueles saudosos anos 80, o mercado japonês fervia, principalmente porque o campeonato nacional de velocidade, a categoria F3 usava as 250cc dois tempos, contra as 400 4 tempos, na maioria, de 4 cilindros. Não tinha japa que não acompanhasse esse campeonato. Foi realmente sensacional.

    ResponderExcluir
  2. Em Pedro Juan Caballero - PY, divisa com Ponta Porã - MS, era possível ver algumas dessas máquinas antigamente, vez que eram importadas sem problemas. O barulho é fantástico e andavam bem também. Essa matéria me fez pensar que ainda deva existir algumas por lá. Pena que as importações são muito restritivas...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

HONDA CB400

YAMAHA XT600Z TÉNÉRÉ