quinta-feira, 13 de julho de 2017

Comprar uma clássica exige cuidados.

     Talvez o amigo leitor chegou até aqui e está pesquisando a compra de sua primeira clássica, morrendo de saudades de dar uma "voltinha de moto" e não faz isso há mais de 20 anos. Pode ser que, neste estágio da sua vida, já "quarentão" ou "cinquentão", tenha perdido o costume de adquirir veículos usados, graças às boas condições financeiras, mas agora, procurando uma clássica pra por na garagem, se veja longe do conforto de comprar um zero km por telefone e recebe-lo em casa.

     Vendo-se obrigado a exercitar mais um saudosismo - a compra de um usado!  Mesmo para quem chegou aos 50 cuidando do patrimônio e fazendo boas e inteligentes compras de veículos semi novos, as dicas abaixo serão úteis, tenho certeza, mesmo porque, quando falamos de semi-novos falamos de veículos de 3 ou 4 anos e quando falamos de clássicas, falamos de motos de 30 ou 40 anos - uma larga diferença!

     Revendo o passo a passo da compra de um usado, e incluindo os cuidados adicionais quando o tema são as clássicas, nessa conversa vamos passear por esse delicioso universo, que vai ajudar a te aproximar de sua próxima motocicleta e certamente te trazer novos amigos.

     Vamos começar pelo básico?

A COMPRA DE UMA MOTOCICLETA USADA

1- ENCONTRE A MOTOCICLETA - com a internet ficou mais fácil, basta entrar nos sites de anúncios e fazer um "garimpo virtual", durante a busca, preste atenção nos seguintes pontos:
     a. Fotos Nítidas
     b. Boa Descrição
     c. Preço Adequado

     Moto com foto escura, borrada, sem detalhes, suja... ja era!  vendedor que não tem cuidado nem pra tirar foto, lavar a moto antes, não tem cuidado com a motocicleta!

     Vendedor que não tem tempo pra descrever com carinho a sua moto, não a tratou com carinho durante a jornada.

     Se o preço está muito baixo, desconfie!  Muito alto?  não quer vender...

Ao ligar por vendedor já comece por tirar todas as duvidas que
tiver, pergunte sobre histórico, detalhes etc.
2- CONTATE O VENDEDOR 
     a. Tire as duvidas
     b. Marque para ver a moto
     c. Peça para deixar a moto FRIA

     A terceira dica é a mais importante, vendedor que da a partida antes do comprador chegar pode estar querendo esconder alguma coisa - desconfie.  A partida a frio pode estar difícil, a moto pode estar "fumando" quando na partida a frio.  Por isso, ainda por telefone, peça a gentileza dele deixar a moto fria pra você dar a primeira partida do dia.  (ele já de cara vai notar que você não é inexperiente!)

3. DOCUMENTAÇÃO
     a. Verifique a documentação
     b. Confira a numeração no chassi e motor da moto

4. VISUALMENTE
     a. Vazamentos (cabeçote/carter/carburador)
     b. Nivel dos fluidos (e sua qualidade)
     c. procure por marcas de quedas
     d. inspecione atentamente o tanque (por fora e por dentro com uma lanterna)
     e. o banco diz muita coisa
     f. os pneus falam também
     g. relação de transmissão
     h. painel
     i. parafusos
     j. originalidade
     k. suspensão dianteira melada

     Primeira coisa, antes de dar a partida na moto, de posse de uma boa lanterna (mesmo que esteja ao sol), com calma, abaixe-se ao lado da moto e inspecione-a detalhadamente, de ponta a ponta.  A lanterna ajuda a manter o seu olhar focado e realçar os problemas, além de, claro, iluminar pontos escondidos atras de peças ou carenagens.
Detalhes que apenas uma inspeção mais detalhada mostram...

...são importantes e ajudam a determinar...

... o histórico da motocicleta.
     Procure por vazamentos, marcas de escorridos, indícios de lavagens com produtos fortes (solupan, limpa bau etc), procure também por repinturas (normalmente exibem marcas de lixamento por baixo da pintura, ou o verniz fica mais áspero nas bordas, ou aspecto de casca de laranja quando observado de lado).  Deite e olhe por baixo da moto, por baixo das pedaleiras, por baixo dos escapes, as pontas da bengalas, dos eixos.  Ali ficam os indícios de tombos. Procure por diferença de cor entre as peças.

Atenção aos vazamentos, ou aos sinais de que houve vazamento naquela região.


     Verifique também com a ajuda da lanterna o nível dos fluidos, veja como está a cor deles.  Um fluido de freio escuro indica que o proprietário não o troca faz tempo...  manutenção porca!  Um óleo de motor leitoso, indica que água do radiador está se misturando com óleo... hummmm ...problema a frente!  Cheire o óleo de motor (nas motos é o mesmo do cambio), se tiver com cheiro forte de queimado, a embreagem pode estar comprometida...

O nível e a cor dos fluidos indica muita coisa - entenda!


     O tanque de combustível deve ser observado com muita atenção também, se a pintura foi refeita, olhe com muita atenção, posição dos adesivos, qualidade da pintura, pontos de ferrugem.  Desconfie da perfeição. E com a ajuda da lanterna, tire a tampa (olhe a parte interna da tampa), e olhe por dentro do tanque. Passe seu dedo no bocal por toda a volta, veja se vem com ferrugem.  Isso indica problema futuro.
Ferrugem no interior do tanque...

...tem como resolver, mas custa $$ e isso deve ser considerado.



     Banco ressecado, rasgado,  indica que a moto foi largada ao sol, mal cuidada.

     Nos pneus, ha uma indicação DOT onde consta semana e ano de fabricação. É um bom indicador da km da moto.  Se a moto por exemplo está com 2.000 km rodados, os pneus tem que ser originais.  Se a moto em questão é ano 2007, os pneus não podem ser 2015.

Os pneus tem muito a dizer...


     A relação de transmissão também indica como a moto foi usada, se foi lubrificada, se tem folga, se a km indicada no painel faz sentido. Varia de acordo com o modelo e cilindrada, mas a relação original de determinados modelos chegam a durar entre 30.000 a até mais de 50.000 kms - claro, dependendo dos cuidados e uso.

     Com a ajuda da lanterna, olhe atentamente para o painel.  Procure indícios de que foi aberto, marcas de chave, marca nos parafusos, olhe por trás, nas laterais etc.

     E nos parafusos da moto em geral, procure observar se foram bem cuidados ao longo da vida, ou se a moto teve sua manutenção dada em oficinas "boca de porco" que deixaram eles todos desbocados.

     São indícios de que sua futura moto foi ou não bem cuidada.

     Espelhos, manetes, manoplas, piscas, carenagens, ponteira... isso tudo é original?  ou a moto parece um frankstein?   E o manual e ferramentas originais, estão na moto?

     Bem, se ela passou até aqui, e você gostou do que viu, documentação e estado geral da moto, é hora de falar de valores, pedir um desconto no que viu até aqui... e uma vez acertado valor, falar em dar uma volta.

Negocie o valor antes de andar na moto! Pois se você cair com
ela, seu argumento foi por água abaixo, e terá que pagar o preço cheio.

     Epa! Espera ai... agora precisamos ver o lado do proprietário, não é mesmo?  E se, nessa voltinha você cair com a moto?   lembra que você não anda de moto há 20 anos?, pois é, pode acontecer...  A ética nos diz que o correto é, neste caso, FICAR COM A MOTO!

     Então, verbalmente, acerte isso com o proprietário, lembre-se que amanha pode ser você o vendedor, então combine:

     - Bem, eu gostei da moto, o valor está acertado!  Quero sair para dar uma volta.  Se eu cair com ela, a moto é minha.  Se eu não cair e não gostar da moto, posso ainda desistir da compra! ok? 

Alem disso, deixe com ele uma segurança, seu documento, a chave do seu carro, algo que demonstre que você vai retornar com a moto... Feito isso, saia para o test drive.

5. TEST DRIVE

     a. Teste cada uma das marchas (acelere e desacelere em cada uma delas, para ver se não escapam)
     b. teste os freios
     c. teste toda parte elétrica
     d. solte o guidão para ver se a moto segue em linha reta
     e. atenção a barulhos do motor ou outras partes da moto

     Dai pra frente, gostou? É só pagar, levar pro despachante fazer a documentação e ser feliz com ela.

REVISÃO DE ENTRADA

     Sempre que compro faço em meu mecânico de confiança, uma profunda revisão de "entrada", assim sei que está tudo zero km e posso rodar tranquilamente com a nova motoca.

Lembre-se de considerar no custo de aquisição, o valor da primeira revisão
e também da documentação.
- óleos da suspensão
- rolamentos
- cabos
- fluidos freio
- fluido embreagem
- pastilhas
- lonas
- engraxar
- reaperto
- filtros
- pneus e câmeras (se tiver)
- reapertos em raios (se tiver)
- carburação (se tiver) etc





CUIDADOS EXTRAS NA COMPRA DE UMA CLÁSSICA

     Bem, até agora as dicas foram pra compra de uma usada, mas e se a estivermos comprando uma clássica?  o que muda?
     O maior cuidado que se deve ter, e a diferença entre a compra de uma clássica e a usada comum, é na questão da originalidade.
     Enquanto na moto comum usada, verificamos sem muita atenção se espelhos, piscas, manetes e manoplas são originais, no caso da clássica muda tudo, explico:

     - se o espelho da Honda Tornado 2005 não for original, não tem grandes problemas, basta ir na concessionaria e por alguns poucos reais, você sai com o espelho original na hora, ou na pior hipótese, na semana seguinte.

     - já se for uma Honda 750f 1973 que está com o escapamento errado!?!  E você não percebeu na hora da compra?   pode preparar uns R$ 7.000,00 e esperar alguns meses pra vir um da inglaterra... (com sorte, se encontrar...)

     E o pior, é que tá cheio por ai de moto de um ano com pintura de cor que não existia, com acessório que não era dela, CG com tanque de ML, XLX com carburador de SAHARA, XL250R com painel de XLX250R e por ai vai... por isso, toda atenção e pesquisa antes de comprar. Se for possível, chamar alguém que conheça, ou pelo menos, mandar fotos bem detalhadas pra essa pessoa avaliar.

CAUSO: A LINDA MERCEDES AMG

     Ainda outro dia, recebi a foto de um amigo pelo Whatsapp, de uma "linda Mercedes Benz 300SL 1993"...  mas quando olhei atentamente:

AMG??

Fibra de Carbono??


- Aquele tom de azul não faz parte do catalogo da Mercedes de 1993
- Fibra de carbono que estava aplicada em todo painel do carro....  não era usada pela automobilística em 1993!!!!!!!!!
- ahhh e os logotipos AMG!?  em 1993 apenas o modelo C36 era "carimbado pela AMG"...

por isso.. precisamos ter cuidado!  depois que comprar, ai já era amigo!



Um comentário:

  1. Comprar uma clássica exige cuidados. Sempre dou um toque, comece pelas nacionais, fica mais fácil.
    Um conhecido, em Campinas, foi atrás de uma Cagiva Elefant 750 e encontrou um belíssimo exemplar com quase 90 mil rodados, mas a moto estava mesmo perfeita, como está até hoje, 5 anos depois.
    Cuidadosos proprietários.

    ResponderExcluir