quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Um homem de palavra e mais uma clássica na garagem

O antigo e o novo proprietário da motocicleta
Sabe aquela história: "quando for vender me avisa"? Todos nós já estamos cansados de ouvir, não é mesmo?!

Todos acham linda a moto, e na hora que você quer realmente vendê-la aparecem as desculpas:

- poxa! agora? nossa! acabei de comprar um terreno!  ou então:

- ahhh! troquei o carro da minha esposa semana passada, que pena!

E ai, você descobre que dos 100 que queriam sua moto, ninguém a quer realmente, ou acham caro, ou eram "entusiastas de araque"...

Mas a história que trazemos hoje teve um final diferente.  Uma série de coincidências fizeram isso acontecer, dizem que o "universo conspira", uns acreditam, outros não.  Mas, se o papo é moto, vamos a ela.

Em julho de 2016, Cícero Lima - meu grande amigo, jornalista e  importante colaborador deste site, encontrou, durante suas andanças pela capital paulista, uma motocicleta clássica muito bonita na Av. Tiradentes, que lhe chamou a atenção em meio ao transito confuso, a BMW R100GS PD pilotada por um cidadão de nome Marcelo Resende, com placa de Belo Horizonte demonstrava que o peixe estava fora d´água.  Esse episódio virou uma matéria aqui no site, que pode ser acessada através deste link.

Foi quando tudo começou.. Cícero encontrou Resende, meu amigo,
em uma das maiores cidades do mundo..

O que o Cícero não sabia, e nem podia imaginar, é que, Marcelo Resende e eu, somos amigos dos velhos tempos.
Há cerca de 19 anos, nos primórdios da internet por linha discada no Brasil, quando as primeiras "listas de discussão" se formavam, alguns poucos se agrupavam em torno de algum tema para discutir, e naquela ocasião um pequeno grupo formou-se para falar de "motos big trails".  Pois é, eram pessoas esquisitas, que não gostavam das regras, dos grupos, dos motogrupos, dos coletes, dos brasões - eram piadistas, fechados!  literalmente estranhos!  Tão estranhos que se autodenominaram: "Putolinos" (nome completo por favor:  Putolinos Big Trail Club)...

"Putolinos" sempre irreverentes... 
Bem,  Putolinos e seus desafetos (que não foram poucos, nos idos de 1998 e anos que se seguiram) não serão detalhados aqui (apesar de fazerem parte do folclore motociclístico e merecerem um capitulo à parte!), mas, fato é que Diego e Resende estavam lá,  faziam parte daquele seleto e pequeno grupo, que, apesar das piadas de mal gosto, amavam as motocicletas!

A tal "lista" da internet perdeu a força com o passar do tempo, alguns Putolinos mantiveram contato, outros nem tanto, e Resende e eu ficamos uns bons anos sem nos falar, eis que vejo a matéria publicada no Motos Clássicas 80, pelo Cicero, e logo disse:

- Poxa, conheço esse cara! Tá doido!? como você foi encontar o Resende em SP? me passa o numero do cara, quero falar com ele!

Conversamos um monte, bem mais maduros e menos agressivos, colocamos o assunto em dia, Marcelo, que havia comprado aquela R100GS PD de um colecionador de motos de Campinas (SP), estava encantado pela motocicleta - e eu também - foi quando disparei
- Parabéns pela motoca, linda! quando for vende-la me avise! vou ficar com ela.   

Nesse ultimo ano, nosso contato voltou a ser quase diário, com a modernidade do Whatsapp, a antiga "lista" dos Putolinos ressuscitou, fizemos questão de reencontrar e agrupar os velhos amigos, e assim o contato estreitou-se novamente.

Há cerca de 30 dias, Marcelo me chama:
- Diego, você pediu pra avisar, pois é, a Paris Dakar está a sua disposição!   Eu gelei!   O cara cumpriu a palavra! E agora?

Nas horas em que se seguiram, congestionamos o sistema mundial de Whatsapp de tantas fotografias e mensagens que trocamos, detalhes, fotos, questões, duvidas... ahhhh que sonho!  naquela noite não dormi!

E quer saber?  não era o momento adequado, financeiramente falando, mas não havia como pestanejar, e a proposta que mandei foi pra lá de indecente, o Marcelo a acolheu de coração aberto e sorrindo disse:

- Vem logo buscar a sua nova moto!

Em poucos dias estava com a passagem de avião emitida para BH, era uma sexta feira, naquela tarde encontrei com ele, vi a moto pessoalmente (linda, impecável, imaculada!), e mais tarde, acreditem: Marcelo promoveu uma festa em sua casa, convidou os melhores amigos, tudo do bom e do melhor!  Era o "bota fora da moto"... eu que achava ja ter visto de tudo nessa vida!

Recepção digna de um rei!  Não é em qualquer ocasião que se abre uma Cachaça Havana (lote 19)!


Diego foi recebido pelo Marcelo e seus amigos Alexandre, Dudu e Edgard 
Papo bom, comida boa, rock bom.

Foi quando Resende explicou: - Há 19 anos você vem me influenciando no motociclismo, desde o tempo "dos Putolinos", depois mais tarde, no tempo em que testava motos e escrevia na Revista Duas Rodas...  É uma honra recebê-lo aqui e vender essa moto pra você, esta é a minha forma de te dizer -  Obrigado!


Na manhã seguinte, moto na estrada!

Incrível a docilidade dessa veterana!

Presta atenção na rodovia e para de tirar selfies rapaz!



Uma grande conquista! uma grande comemoração!!!

Na manhã seguinte, as 06:00hs eu já equipado ligava a veterana e rumava na BR381 pra casa, cerca de 600km, deliciosos, que ela nem deu bola pra fazer.  A historia toda não saia da cabeça!

Agora, só resta mesmo agradecer: - Valeu Marcelo!  Cara de palavra! Essa clássica veio com muita historia pra contar!


10 comentários:

  1. Sou muito feliz por ter tido a honra de conhecer o Diego Rosa nessa ocasião! O Resende declaradamente já é meu ídolo e desde que conheci o Diego, ele também se tornou um ídolo. Fiquei impressionado com os relatos de viagens com motos esportivas... Diego, você é uma “enciclopédia” viva do motociclismo! Sensacional os relatos acima!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, uma imagem vale mais que mil palavras, mas esta GS está muito bonita mesmo! Vamos conhece-la no dia 18, se Deus quiser

    ResponderExcluir
  3. Mais um posto nota 1000000!!!! As amizades que fazemos graças às motos...

    ResponderExcluir
  4. Minha nossa, a motona tá show mesmo. Parabéns DR.

    ResponderExcluir
  5. Motos são máquinas de fazer amigos, devo muito às motos e aos amigos que fiz graças a elas.

    ResponderExcluir
  6. Tenho a honra de ser amigo de dois dos personagens dessa bela historia, o Marcelo e o Cicero.
    Para dizer a verdade, morri de inveja de você, Diego.
    Agora digo eu, quando quiser vende-la, me fale!!
    Há anos venho procurando uma dessas nesse belo estado de conservacao.
    abraco a todos

    ResponderExcluir
  7. SOnhos um dia se tornam realizade, só estar na hora e no lugar certo.. Parabéns Diego, que moto linda...

    ResponderExcluir
  8. Está cuidando bem da motoquinha?
    Lembre-se:
    - apague o farol assim que entrar na garagem,
    - feche as torneiras de gasolina com carinho e um pouco antes de desligar o motor,
    - nunca, mas nunca mesmo, arranque a moto quando estiver no cavalete central.
    Se não cuidar bem dela, irei aí buscar a bichana de volta....rs...
    Marcelo Resende

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim senhor! Sim senhor!
      Ta sendo bem cuidada sim!
      Pode deixar, vou seguir a risca as recomendações...

      Excluir
  9. Excelente post. Gosto dessas histórias, pois contextualizam a moto, que acaba sendo um elo para fazer amigos.

    ResponderExcluir