Pausa forçada

O motoqueiro que mora num país tropical tem o privilégio de poder andar de moto praticamente o ano inteiro. Já o que mora num país de clima temperado tem um grande obstáculo: o inverno
.
O outono é muito bonito, com as folhas das árvores se colorindo em um degradê do amarelo ao vermelho. Mas este já é o sinal para os motoqueiros de que a temporada está se aproximando do final. O primeiro perigo já são estas próprias folhas, que quando caem e se juntam com o sereno da madrugada viram um sabão. Já é a primeira pausa que se precisa fazer, até que as folhas sumam das estradas.
Sinal vermelho para a temporada das motos.
Foto: Laura Gellert

Logo as folhas caem e aí é o perigo.
No hemisfério norte o inverno começa em dezembro, mas antes ainda já é muito frio para se andar de moto. Quando a temperatura cai de 8ºC a mistura da borracha dos pneus fica mais dura do que ela foi projetada, causando uma diminuição da aderência ao solo.
Com gêlo e neve nem se precisa mencionar que ninguém anda, mas há dias em dezembro ou fevereiro em que a temperatura até sobe um pouco. Mas, mesmo assim, as estradas estão cheias de sal, o que provoca ferrugem na moto, pior do que maresia.
São por estes motivos que a grande maioria dos motoqueiros põe suas motos para hibernar. Existem até placas de temporada, com as quais não se pagam nem imposto nem seguro durante este período em que a moto fica parada.
Com essa placa se pode andar de abril até outubro (04/10).
Mas simplesmente largar a moto na garagem por meses não é nada bom. É necessário prepará-la para a hibernagem. As dicas que seguem servem também para quem pretende encostar sua moto por um bom tempo, independente da época do ano.
Primeiro deve-se lavá-la bem, nunca deixá-la suja para o inverno. O carburador deve estar vazio, toda a gasolina na cuba tem que ser drenada. Uns dizem que é bom encher o tanque, outros recomendam esvaziá-lo e protejê-lo por dentro com óleo de câmbio. Outra recomendação é retirar a vela e injetar óleo diesel no cilindro com uma seringa.
A moto deve ficar no cavalete central, melhor ainda é ela ser lavantada para que os pneus não encostem no chão, pois eles podem se deformar.

Com os dois pneus levantados é melhor.

A bateria é bom ser retirada e guardada num lugar não muito frio. De preferência aonde se pode recarregá-la regularmente.
Coloca-se então um pano em cima dela, e quem não tem garagem, põe uma capa especial para protegê-la. Aí é só esperar o inverno passar.
Mas eu gosto muito de mexer na minha moto. O problema é que na garagem é muito frio, os dedos até chegam a doer. Além do mais as peças de plástico, borrachas e cabos ficam muito duros e podem rachar ou quebrar quando você demonta a moto. Por isso eu trago a moto pra sala, quando fico com muita vontade de fazer alguma coisa nela.
No calor da sala dá pra trabalhar.

Eu também aproveitei o tempo livre e fiz um "fotoshooting" com minha moto, já que não podia andar...
Preparando a moto para o fotoshooting.
Pronta para as fotos.


O resultado. Foto: Bettina Theisinger

Eu costumo ligar uma vez por semana a moto, para o óleo ser espalhado por todo o motor e câmbio. Ponho no cavalete central e engato a primeira, deixando a roda traseira rodando um pouco no ar. Isso não é realmente necessário mas assim as vedações não ressecam, e eu ouço o motor dela de novo.
Às vezes até tiro ela da garagem pra ligá-la. Vendo este vídeo aqui em baixo fico até com dó de mim mesmo, tendo que me contentar com tão pouco...

Mas todo inverno acaba um dia. Aí é prepará-la para a nova temporada: Limpar e passar óleo no filtro de ar e na corrente, trocar o óleo do motor com novo filtro de óleo, lubrificar a suspensão, expulsando a graxa velha, verificar se a bateria está com água e recolocá-la, etc...
Limpando e molhando o filtro de ar em óleo de câmbio.
Expulsando a graxa velha da suspensão.
Limpando a corrente com solvente, cobrindo o pneu... ...e a lubrificando com óleo 80W90.

E aí é ter o dobro do prazer nos passeios, por poder finalmente andar de novo de moto... Aqui a primeira voltinha depois do inverno:
O primeiro passeio curto, pois ainda estava frio.
Foto: Laura Gellert


Seguem agora as fotos do primeiro passeio do ano, o final da pausa forçada do inverno...
A primeira vez que fez calor, 26°C.
Fotos: Bettina Theisinger
O passeio com meu amigo Thomas que também tem uma XL 600 RM
Encontramos até uma terceira XL 600 RM pelo caminho!

Aproveitando o máximo do dia bonito.

Que delícia, finalmente dá para andar de novo!

Comentários

  1. Poxa, e eu aqui sonhando em participar do encontro dos elefantes, Fevereiro, alto inverno na Áustria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. É isso aí Jorge, esse encontro fica há uns 90 km de onde moro ( mas é Alemanha, não Áustria, heim!) .Mas... você tem certeza que quer deixar o verão brasileiro pra se congelar aqui no invero? Acampar a -10ºC, não sei não... Ja fez isso?

      Excluir
    3. Kkkkk, ainda não fiz isso Victor . O friozinho brasileiro é moleza perto do seu.

      Excluir

Postar um comentário