Autor

Quando comecei a escrever esse site, a ideia era simples e ingênua: publicar algumas fotos das minhas motos e compartilhar com alguns poucos amigos que se interessassem pelo tema, um pouco dessa paixão.


Mas, ao começar a escrever  senti-me à vontade, resgatando de alguma forma lembranças dos anos em que eu escrevia para publicações especializadas em motociclismo... 

Fui me empolgando. - Para que o site ficasse menos impessoal, para que os visitantes pudessem realmente tomar assento nessa "garagem virtual" resolvi puxar a primeira cadeira, apresentando-me:

Meu nome é Diego Rosa, tenho 43 anos, dos quais 30 em cima de veículos de duas rodas ininterruptamente. 
Inicialmente as trail dos anos 80 - DT180N, XL250R, XLX350R, XT600Ténéré, passando por Vespa PX200E, RD350R e com a volta das importadas em 1991, XTZ750 Super Ténéré, Sukuki DR650RSE, DR400, e por fim as esportivas, outra grande curtição e com as quais curiosamente (por conta do estilo pouco adequado) saí pela América do Sul em aventuras épicas e solitárias - Kawasaki ZX-9R,Yamaha YZF-R1, Hayabusa etc...





Caminhos que percorri na America do Sul


Em 1999 indo ao Uruguai com o amigo André Gomes
Em Ushuaia com a Yamaha R1




Caminho de Ushuaia com a Yamaha R1


No deserto do Atacama,  com a Yamaha R1


No sul do Peru, também com a Yamaha R1 - dunas gigantes!


Na cordilheira peruana, abastecendo a moto precariamente!

Entre os anos de 2003 a 2009 tive o prazer e o prestígio de ser convidado a trabalhar como piloto de testes da Revista Duas Rodas. 
Foi praticamente um sonho, afinal eu era leitor assíduo desta publicação desde meus 12 - 13 anos...   Me lembro como se fosse ontem, eu havia voltado da minha primeira viagem solitária ao Ushuaia (Terra do Fogo) em minha Yamaha R1 (isso em 2001 - quando haviam muitos km de rípio naquelas paragens e a viagem era considerada uma aventura, ainda mais sozinho, ainda por cima em uma super esportiva) e recebi uma ligação do então editor da revista Duas Rodas, Cícero Lima (que tornou-se um grande amigo e companheiro de jornada dessa paixão pelas duas rodas) me perguntando sobre a aventura e se eu queria publica-la... 
Claro que sim, né Cícero ! E assim foi. 


A primeira publicação:

"UMA R1 CAI NA VIDA"...


"O VIRA MUNDO"


Abaixo os certificados do IronButt (atualmente são 14  - todos numa YZF-R1)... O meu negócio era rodar, rodar e rodar, sem com o destino me importar...


Uma vez publicada a primeira matéria e quebrado o gelo inicial, Cícero deve ter percebido minha fome por kms e me ofereceu uma CBR954RR pra "dar uma volta" no final de semana e escrever sobre ela, afinal de contas eu estava habituado a principal concorrente desta moto (a R1) e talvez eu pudesse dar alguma opinião legal sobre o tema.  

Bem, deixei minha R1 na redação em SP numa sexta-feira chuvosa a noite, e sai, ainda meio sem rumo definido em meio ao transito do fim de tarde paulistano.  Dormi aquela noite em Curitiba (a Regis Bittencourt com chuva a noite era de lascar!), no dia seguinte fui até Gravatal, SC (próximo a divisa com RS) e voltei no domingo com 2.000 km de "voltinha" com a Honda 954.

Você é um tarado! - exclamou Cícero quando devolvi a moto com 2.000 km a mais no odômetro. 

Bem, foi a primeira matéria que publiquei, deve ter agradado, pois me convidaram pra uma infinidade de matérias nos anos que se seguiram...

"DOIS DIAS, DOIS MIL QUILÔMETROS"


Passaram a me chamar de "o especialista", encheram minha bola, e eu, que só queria andar de moto...




Enfim, os anos foram passando, tive a felicidade de publicar muitas outras matérias - a maioria "viagens-teste" 
- Hayabusa, 
- Hornet, 
- Cbr1000rr,
- Cbr600rr,
- V-strom,
- Tiger 900, 
- R1, 
- MV-Agusta, 
- Ducati 998
- XT660 e etc

e também algumas outras aventuras sentado na minha própria Yamaha R1: 
Ushuaia 
- Machu Picchu 
- Atacama 
- Lençóis Maranhenses - indo pelo sertão e voltando pelo litoral
- depois Ushuaia novamente mas dessa vez com uma Hayabusa.. 

Além das aventuras, fui, "depois de velho" aprender a pilotar esportivamente, e dei sorte: aprendi com o grande mestre... o norte-americano Keith Code, considerado o melhor instrutor de pilotagem de moto velocidade do mundo, cara que treinou mitos como "Wayne Rainey" por exemplo - Foram dois cursos intensivos, um no extinto autódromo de Jacarepaguá, RJ e outro no autódromo de Curitiba, PR.




Com o mestre Keith Code em Curitiba, durante um dos treinamentos que recebi.

Em duas ocasiões fui convidado a participar de provas do Campeonato Brasileiro de Supermoto, a primeira em 2004 com uma Husqvarna 470cc (que canhão!) e depois em 2007, coincidentemente com outra Husqvarna, dessa vez uma 125cc 2 tempos (apimentada também, viu!) no "Arena Supermoto"...  

Com o staff da Revista Duas Rodas e o Leandro Mello no Arena Supermoto de 2007.

No Brasileiro de 2004 com a husq 470 em Barra Bonita, SP






E foi assim que cerca de 600.000 km de experiencias extremamente variadas, ficaram pra trás nesses 30 anos de estrada...

Durante uma matéria para Revista Duas Rodas em Interlagos, SP - com o heptacampeão Brasileiro de moto velocidade, Gilson Scudeler


Na curva do S - em interlagos SP com a moto do heptacampeão Brasileiro, Gilson Scudeler

Atualmente com uma das motos de seu acervo...(essa bem mais nova)

Sempre rodeado pelas motocas...



Bem, e as antigas onde entram nesta história? 

É curioso como muitas das coisas extraordinárias que acontecem em nossas vidas são situações simplesmente não planejadas, o lance da experiência com a Revista Duas Rodas por exemplo. 

Com as antigas não foi diferente: à partir da "Vermelhinha" (minha XL250R 1984) a paixão foi me conduzindo, ou conduzindo outras motos ao meu caminho, me aproximando de pessoas incríveis que nutrem sentimentos legais por essa  mesma paixão. 

Provavelmente como você, que teve paciência e interesse em chegar até este ponto da leitura...  Com certeza temos muito em comum! E por isso lhe convido a navegar pelo nosso site, conhecendo as historias, as motos, os costumes, enfim, muita coisa relacionada ao motociclismo "à moda antiga"... focado nos anos 80.

E pra encerrar essa nossa primeira conversa, te convido a assistir um vídeo no qual participei, à convite da Honda do Brasil, vídeo esse que foi usado na cerimonia de inauguração do Museu da Honda Brasil no CETH de Indaiatuba, SP . Meu depoimento resume-se a uma singela e apaixonada homenagem às motocicletas e ao motociclismo...






É isso, puxe a sua cadeira, acomode-se, acompanhe, opine, reclame... Sinta-se à vontade! Seja bem vindo!



Comentários

  1. Legal o site, eu tenho tres classicas aqui na garagem. Uma Gt550 1975, original, tem reparos de idade mas não é restaurada, uma cb350 k5 que ficou esquecida por 30 anos e uma rd 350 93, que estou guardando desde 99 pra esperar ficar antiga.
    Parabens pelas materias.

    ResponderExcluir
  2. Que show o site, nós temos um mito sobre duas rodas em Atibaia e não sabíamos, voce tem muitas não, infinitas histórias, dicas e causos para nos contar, quero apresenta-lo ao grupo que ando em Atibaia. Parabéns, eu adorei muito o seu site.

    ResponderExcluir
  3. Oi Augusto, será um prazer conhece-los e falar sobre motos... obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  4. Diego, os nossos passeios são aos domingos (Sem chuva), nos encontramos no posto BR do Jardim dos Pinheiros, o nosso encontro é sempre as 08:00hrs da manhã, se um dia puder, venha nos visitar, que lhe apresento a nossa turma, um pessoal de primeirissima e todos apaixonados por motos. Abraços Augusto Luppi.

    ResponderExcluir
  5. Entre os amigos, temos o Carlinhos do Alan Esfihas que é um colecionador de motos, ele tem as antigas cb400four, cb500four, cb750four, além de outras raridades, precisamos combinar um encontro dessas raridades em Atibaia. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Porphirio Gomes de Oliveira13 de fevereiro de 2016 08:21

    Olá Diego. Meus parabéns pela publicação do seu blog, muito bem construído, bem ilustrado com personalidade e maturidade. Eu nos meus quase 78 anos, tive alguma experiência pioneira, mas com a Lambreta em 1957 (faz tempo heim!). Eram as primeiras no Brasil, abastecia com gasolina e uma bisnaga de óleo e saia puf...puf...para Santos e outros passeios. Guardadas as proporções, estou entre os admiradores das motos.

    ResponderExcluir
  7. Bom ver que temos aqui na cidade alguém com esse currículo... já ouvi sobre sua coleção de Hondas pelo amigo em comum Zuza Vieira... tenho uma XLX 250R 1987 parada no porão desde 1991, quando me acertaram na estrada da Pedra Grande, pneu dianteiro ainda original, vou colocar ela de pé em breve, saudade de andar nela... também tive uma azul 1984. Qualquer hora dessas nos vemos por aqui na cidade, abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário