Personalização - vale a pena personalizar?

Fora do Brasil existe, e não é de hoje, há o costume de personalizar motocicletas, sejam elas novas ou antigas, pelas mais inúmeras razões. A personalização pode ir de uma simples trocar dos aros cromados por dourados, até uma repintura completa, ou mudanças estruturais até.

Não ha nada de errado em mudar a pintura, detalhes ou o todo, de acordo com seu gosto pessoal, mas, talvez isso atrapalhe na hora de vender.



Imagine por exemplo uma moto esportiva, com a pintura toda "racing", igual a de um piloto.  O comprador pode entender que você é fã incondicional daquele piloto e quis deixar sua moto "igual a dele", mas ele pode entender também que você tomou um "tombasso" e que as peças originais eram caras demais pra repor, então decidiu pintar personalizado.  A pulga fica atras da orelha.



A customização, se for muito personalizada, se ficar muito
"a sua cara", lembre-se que terá que achar alguém com gosto
muito parecido pra conseguir vender...


Como evitar esse problema?  Bem, existe uma forma bem fácil, seria manter todas as peças originais, pintar um novo kit, e quando o comprador vier, basta demonstrar a sua intenção e isso será visto ainda como uma grande vantagem, pois ele estará levando a moto com 2 pinturas, e a original estará bem preservada... Más, essa situação causa problemas, primeiro deles é o alto custo da personalização, onde guardar o kit original (são trambolhos dentro de casa) e tem a questão documental também, dependendo de ter mudado a cor básica da moto, há que se alterar a documentação.



As replicas de corrida, desde que sejam muito bem feitas e fiel ao projeto
original do piloto, são bem aceitas.


Existe aquele outro tipo de proprietário, que digo ser "caprichoso demais".  Tira parafusinho por parafusinho, manda cromar... raios idem.. já não passa a ser uma personalização, mas uma descaracterização do modelo, na minha opinião de mal gosto, mas...  cada um altera o detalhe que deseja - mas cuidado, essas motos não são bem vindas entre os colecionadores.

No caso de motos antigas, colecionáveis, a personalização não é aceitável, com raríssimas exceções, se a personalização vier acompanhada de uma belíssima historia, ou se for uma "race replica", em alguma situações uma "cafe racer" - e é claro, que tudo que foi feito, seja de altíssimo nível.




Comentários

Sousa Jose disse…
bacana abordar este assunto pois depende mt do bom gosto do dono, em tempo a Yamaha amarela da foto qual modelo ?
Eu particularmente curto e valorizo demais as classicas "como vieram ao mundo" !!!