Ela nasceu (e morreu) como uma clássica

Lembro bem daquela manhã em 2005 quando sai da fabrica da Yamaha, em Guarulhos - SP, pilotando uma das primeiras XT 660R que chegou ao Brasil. Na época era editor da revista Duas Rodas e usamos a moto para os primeiros contatos e avaliações. Confesso prá vocês amigos do Motos Classicas 80, foi uma ENORME responsabilidade.
Afinal a Yamaha XT 660R era um lançamento mundial que chegou ao País com a dura missão de substituir a destemida XT 600. O modelo tinha (e ainda tem) uma legião de fãs que jogavam pragas em todos os diretores e engenheiros da Yamaha por terem descontinuado a XT 600.
Porém, ao acelerar a XT 660R, percebi que o modelo tinha tudo para agradar aos órfãos da finada XT 600. Sabe quela moto com "pegada" que parece falar com você e tê desafiar na pilotagem?

O motor falava com você!

Na verdade era o motor de um cilindro, de 48 cavalos de potência máxima a 6.000 giros, que falava com você. Ríspido, quase ignorante, ele gostava mesmo de giro alto e detestava passeios. Para mostrar seu descontentamento dava o famoso "pof" e desligava. Muita gente foi para o chão por desafiá-lo e não ouvir seu conselho "acelera, vamos acelera..."
Versátil, a XT 660R era "pau pra toda obra". Rodava bem na terra e dava até calor nos motoboys nos corredores de São Paulo. Nas viagens ela não tinha quele famoso "shime" da XT 600 e acelerava como se o motor não tivesse fim.
Você deve se perguntar o motivo de falar de uma moto com injeção eletrônica e refrigeração líquida aqui no Motos Classicas 80. Simples, algumas motos já nasceram clássicas, a XT 660 R é uma delas.
Cheia de carisma até hoje ela é desejada. Quem gosta de moto de verdade ainda torce o pescoço para vê-la passar.

Ela merece respeito!

O som inconfundível do motor também equipou outros modelos bem legais da Yamaha. Em 2008, por exemplo, tivemos por aqui a MT-03. Não confunda, por favor, com a MT-03 atual veja a foto abaixo e confira como ela era legal e parruda!
Depois chegou a XT 660Z Ténéré que manteve vivo esse motor no Brasil, porém ela saiu de linha por não atender às legislações ambientais.
Por fim, os amantes do motor de um cilindro da 660, perderam aquele som característico e seu comportamento temperamental, mas extremamente carismático.
Se você tem uma delas na sua garagem, qualquer que seja o modelo, tenha carinho por ela. Em pouco tempo sua XT com motor 660, se tornará uma clássica como acontece com todas as motos carismáticas.


A naked Yamaha MT-03 (de verdade) também usava o motor de 660 e só foi vendida em 2008

Comentários

Unknown disse…
Tchê essa é uma das motos q eu ainda vou ter, é na minha opinião uma das melhoras motos q a marca colocou no Brasil.
Tabajara disse…
Um sonho de motocicleta, como são todas as XT. Mas pode anotar: virá sim uma nova XT.
Paulo Barreto disse…
Tenho a minha e não pretendo mudar de moto até que uma outra XT monocilindrica esteja disponivel... nem precisa ser 600, uma 500 como as primeiras XT, com toda a tecnologia atual de injeção, refrigeração, suspensão e ciclistica, e o velho e fantástico tanque de alumínio da XT 500... leveza, potência e confiabilidade que fizeram o mito das XT's!