A linha aero

Em 1989 quando a CBR450SR surgiu no Brasil, a importação ainda era proibida, o desenvolvimento dessa moto (exclusivamente nacional) foi inspirado na linha "Aero", cuja característica mais marcante eram as carenagens integrais, escondendo o maximo possível da parte mecanica. O quadro por exemplo, que é comumente exposto nas esportivas, na "aero" fica escondido!



Na frente, nesta foto, a "pequena" 450SR e atras a top de linha CBR1000F, moto que so tivemos acesso depois de 1991, com a abertura das fronteiras.

O que chama atenção na pequena nacional, é o fato dela ser muito mais bonita e muito mais rica em acabamento do que sua inspiradora.

Possui por exemplo um pratico e espaçoso porta luvas, note também o para-lama dianteiro, muito mais aerodinâmico e bonito, pois chega a cobrir as "bengalas" da suspensão dianteira, e o para-lama traseiro, integrado ao cobre corrente e rente ao pneu, muito bonito e em sintonia com o que havia de mais moderno na época, só  tornou-se comum na década seguinte!

Pois então, enquanto a turma toda reclamava (inclusive eu) da sua falta de potencia, pela escolha aparentemente errada do propulsor (queríamos os 4 cilindros a agua), fraco, a ar e antiquado... deixávamos de ver suas qualidades.

A moto é linda! E o melhor:  sua ciclista surpreende ainda hoje...

...mas para nao perder o costume:  pena que falta motor, né?!?!


Comentários

  1. É, sofremos um pouco, mas as porteiras reabertas, trouxeram alívio para os tinham(tem)$$$. Acho linda a CBR 1000F.

    ResponderExcluir

Postar um comentário