Laboratório na pista, uma história de coragem e perseverança

Compartilhe este conteúdo

A história de sucesso de muitos modelos e marcas de moto é escrita nas competições. Ninguém discute que BMW e Yamaha se beneficiam até hoje das vitórias no Rally Paris-Dakar, o mesmo acontece com a Honda que desenvolveu a tecnologia dos motores de quatro cilindros em pistas como a Ilha de Man. Gostaria de dividir com os amigos do Motos Clássicas 80 algumas fotos bem interessantes e um texto bem legal que recebi da Honda, em julho do ano passado, falando sobre o tema competições como laboratório de desenvolvimento.  

Além do tema tecnológico, gostaria que os amigos observassem as condições de segurança dos pilotos. Prestem atenção aos equipamentos de segurança utilizados à época e condições das pistas

“A primeira corrida fora do Japão de uma motocicleta Honda foi no Brasil, o Grande Prêmio IV Centenário, disputado em 1954 na cidade de São Paulo (foto acima). A experiência, frustrante do ponto de vista do resultado, estimulou a empresa de pouco mais de cinco anos de existência a aprimorar tecnologias. O resultado desse empenho se viu em 1959, na estreia no Campeonato Mundial de Velocidade, na etapa inicial da temporada, o Tourist Trophy na Ilha de Man, na Grã-Bretanha”.

“A categoria escolhida foi a 125cc e as Honda RC141 e RC142, ambas dotadas de motores bicilíndricos, tinham como diferença técnica principal o cabeçote: de duas válvulas por cilindro na RC141 e de quatro válvulas por cilindro na RC142. À época, o Mundial era dominado por marcas europeias e ninguém percebeu que aquela delegação japonesa representava a ponta de um poderoso iceberg, destinado a subverter o poder vigente”.

blank

“Com as pioneiras RC141/142 a Honda estudou o ambiente, e mediu forças. O sexto lugar entre os 18 competidores que cruzaram a linha de chegada foi um bom começo. No ano seguinte, 1960, veio a primeira temporada completa no Mundial, e os primeiros pódios. Em 1961, as vitórias e os títulos mundiais na categoria 125 e 250cc. Ao final da temporada de 1967, a Honda decidiu suspender provisoriamente sua participação no Mundial de Motovelocidade, tendo vencido 138 Grande Prêmios e 34 títulos mundiais entre Pilotos e Construtores, em quatro categorias distintas: 50, 125, 250, 350 e 500cc. O mundo da moto conhecera, neste período, uma tecnologia superior, feita de motores multicilíndricos, cuja qualidade se refletia na produção”.

blank
Honda’s First Golden Age of Grand Prix Racing
blank

“As RC 141 e RC149 (125cc), RC160 3 RC166 (250cc), RC170 3 RC173 (350cc) e RC181 (500cc) – serviram como embriões do motor que assombraria o mercado mundial à partir de 1968, equipando a lendária Honda CB 750 Four, motocicleta que condensava o conhecimento adquirido desafiando – e vencendo – as marcas mais tradicionais da indústria motociclística daquele tempo”.


Compartilhe este conteúdo

One thought on “Laboratório na pista, uma história de coragem e perseverança

  • blank

    Muito legal relembrar. Maravilha.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *