Ao Mestre com Carinho. Despedida de Josias Silveira criador da Duas Rodas

Compartilhe este conteúdo

Quem gosta de moto, carburador, viagens malucas, vento na cara, encontro de motos, mulher bonita e muita diversão, com certeza conhece a Revista Duas Rodas. Infelizmente a revista, fundada em 1974, perdeu seu grande criador, meu ex-chefe e amigo, Josias Silveira. Ele faleceu dia 11 de novembro, estava dormindo e assim permaneceu. Partiu sereno, sem dar trabalho. Com os olhos marejados fui me despedir do meu ídolo e dar um abraço nos filhos Pinho, Badu e na esposa Evelyn.
Enquanto o carrinho elétrico subia as ruas tranquilas e arborizadas do Cemitério da Paz, eu olhei o caixão e pensei em voz alta o que o Josias diria para o motorista. “Essa porra é elétrica, mas tenho certeza que podemos tirar uns cavalinhos extras desse motor”. Em meio a dor da despedida, todos riram e começaram a relembrar suas piadas e causos. Tudo regado a um humor ácido e inteligente, sua marca registrada. Os passos dos amigos e familiares eram lentos e tranquilos, assim como foi a sua passagem. Josias faleceu dormindo, aos 75 anos, vítima de um infarto fulminante que o levou do mundo das criaturas para o Mundo do Criador.

Sempre de bem com a vida Josias dizia “o maior tesão da moto, estar sozinho com você mesmo”

Bastidores

Josias foi o meu chefe na Duas Rodas e lá matéria chata não tinha vez… “Essa matéria é mais chata do que prender as bolas do saco na morsa e apertar com força” Não foi uma, nem duas ou três… Várias vezes o Josias Silveira me chamava na sala, fechava a porta e soltava o verbo. Sempre discreto e sem grandes alardes, sabia ser direto, quase cirúrgico, nas observações. Ele sacava quando a matéria não estava legal, ninguém leria até o fim. Produzir matérias informativas, curiosas e divertidas era lei na Revista Duas Rodas.
Quem conheceu a revista nos anos de 1970 se inspirou nas aventuras malucas do Tio Josias, como aquela que ele foi de Manaus (AM) para São Paulo (SP) com uma Honda CG 125, em 1976. Você consegue imaginar o que era isso, lembre-se: falo de 1976! Com essa aventura-teste o Josias ganhou notoriedade e cravou seu nome na história do motociclismo nacional.
Em algumas regiões onde ele passou durante a viagem muita gente sequer tinha visto uma motocicleta. Além de testar a Honda CG 125, ele apresentava aos brasileiros o veículo MOTOCICLETA. Graças a sua coragem e determinação a Revista Duas Rodas ganhou o respeito e criou uma geração de entusiastas e usuários de motos em todo o Brasil.

Bunda na moto, bunda na moto

Josias, assim como os jornalistas daquela época, era movido a desafios. Em 1982 ele aprontou mais uma: veio de Manaus para São Paulo com a Honda XL 250R. Outra vez ele mostrava que as grandes reportagens aconteciam longe das redações e sim na estrada “com a bunda na moto”. Esse era um mantra comum na redação de Duas Rodas “bunda na moto e uma estrada na frente do guidão”. Grandes viagens rendiam grandes matérias e o pessoal da revista falava com propriedade da motocicleta ou do roteiro.

blank
Josias e Gau são amigos desde os anos de 1970, aventureiros que rodaram o mundo

A revista também abriu espaço para as viagens dos leitores, que se tornou um sucesso e disseminou o gosto pelas aventuras de moto, eu sou um deles. Assim que pegava a revista, o primeiro passo era ler a Seção Aventura e sonhar com elas. Por conta dessas aventuras fizemos muitos amigos, entre eles o Gau (aquele que cruzou a Amazônia de Harley-Davidson) em 1976 e o Diego Rosa, que fez coisas que até Deus duvida com sua Yamaha R1.

blank
Josias e Diego Rosa, a revista Duas Rodas criou uma legião de amigos em torno da motocicleta

Mas eu não quero chover o molhado e repetir o que todo mundo sabia. Queria falar de um Josias que não tinha receio de dizer o que pensava. Era contra a ditatura do politicamente correto e dessa geração “bunda mole” que, segundo ele, sempre procura algo para se ofender…

O jornalista e engenheiro Josias Silveira nunca teve meias palavras, sempre foi franco e direto

O vídeo acima é parte de uma entrevista, feita em agosto de 2017, está na íntegra nesse link. https://youtu.be/VHsuHTXLZbY
Queria agradecer ao Bruno Maron que autorizou o uso das imagens. Vale ressaltar que esse vídeo foi feito na Casa Fernandes de Pneus junto com o saudoso Fredy Tejada, que também nos deixou nesse triste final de 2021. Para desfrutar do humor do Josias, recomendo a leitura do livro Sorvete de Graxa, nele o jornalista descreve de sua relação com as pessoas em viagens pelo mundo. A leitura é leve e divertida, assim como nosso Mestre Josias.

blank

Tivemos a felicidade de recebe-lo na garagem do Motos Clássicas 80, e inclusive demos um passeio de moto, lado a lado, com Josias e outros mitos do jornalismo especializado brasileiro. Confira o vídeo, clicando aqui!

A Coleção de amigos ii – os jornalistas

Compartilhe este conteúdo

One thought on “Ao Mestre com Carinho. Despedida de Josias Silveira criador da Duas Rodas

  • blank

    Grande Josias. Vai deixar saudades.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *